sábado, 12 de abril de 2008

IMUNOLOGIA - 1º Bimestre (Parte I)

- Resposta imune humoral: mediada por anticorpos (linfócitos B).

- Resposta imune celular: mediada por linfócitos T.


- Os linfócitos B amadurecem e se diferenciem em plasmócitos, a partir daí passam a produzir os anticorpos.

- Função básica dos AC’s: neutralizar microorganismos, fagocitar e ativar o sistema complemento.

- A fagocitose de um microorganismo por uma célula do sistema imune depende da opsonização desse MO.

*OPSONIZAÇÃO: Ac reconhece o MO, reveste-o por citocinas de forma que uma APC (célula apresentadora de Ag) reconheça mais facilmente esse MO.


- Linfócitos T podem ser divididos em auxiliar (CD4+) e citotóxico (CD8+).

- Ly-T CD4+ só reconhece antígenos que forem apresentados por uma APC juntamente com uma molécula MHC II, já os Ly-B são capazes de reconhecer Ag solúveis sozinhos.

-Ly-T CD4+, dependendo do tipo de antígeno, terá função de ativação de macrófagos, iniciar um processo inflamatório, ativar linfocitosT e B à se proliferarem e diferenciarem.

- Ly-T CD8+ é uma célula efetora e, assim como o cd4+, vai reconhecer apenas antígenos apresentados por uma APC com uma molécula de MHC I. Assim que reconhecer o antígeno ele vai induzir a célula infectada a morrer por apoptose (portanto não haverá processo inflamatório).

*Célula Efetora: aquela que destrói o antigeno.


- AS células NK são células da resposta INATA, portanto não tem memória. Elas têm a sua função potencializada quando estimuladas por linfócitos T. A destruição por células NK também é atraves de apoptose, com a diferença que a NK não tem especificidade, agindo sobre qualquer corpo estrnho que entrar em contato.


FASES DA RESPOSTA IMUNE:

RECONHECIMENTO: O Ag entra no organismo e ativa um clone de células especificas pré-existentes (memória).

ATIVAÇÃO: São necessários dois sinais para a ativação dos linfócios, o primeiro é o antigeno e o segundo é a manutenção de peptídeos do antígeno no meio.

FASE EFETORA: Linfócitos ativados têm a função de eliminar os Ag’s que o ativaram.

HOMEOSTASIA: Ao final da resposta imune o SI retorna ao estado de repouso.

MEMÓRIA: Uma pequena população de clones de linfócitos é mantida como células de memória.

SELEÇÃO CLONAL: Todas as células do sangue derivam de um único precursor. Cada Ag seleciona um clone de Ly e estimula sua proliferação e diferenciação.

Os clones de Ly amadurecem em órgãos linfóides, quando estão maduros e específicos para cada antígeno, entram nos tecidos linfóides. Clones de Ly específicos para um antígeno são ativados por um Ag e aí ocorrem respostas imunológicas especificas para esse Ag que o ativou.

Dupla sinalização para a ativação do Linfócito:

1) Através do reconhecimento do Ag para a ativação do linfócito.

2) Através de componentes microbianos ou substancias produzidas durante a resposta imune (Ou seja, tem que reconhecer outras substancias microbianas no meio do antígeno, que pode ser uma molécula produzida pelo MO).

O primeiro sinal é sempre uma porta para o segundo, ou seja, quando tenho o sinal um sempre vou ter o sinal dois, no entanto, o AG do sinal 1 pode ser destruído e ainda sobrar resíduos dele no organismo, permanecendo o sinal 2.

CÉLULAS E TECIDOS DO SISTEMA IMUNE:


Tecidos especializados: órgãos linfóides periféricos.

Células: Linfócitos inativos (NAIVE), Linfócitos efetores e Linfócitos de memória.


Maturação de linfócito: Os linfócitos são gerados a partir de células-tronco da medula óssea e migram para os órgãos linfóides para sofrerem maturação. As respostas imunológicas contra antígenos estranhos ocorrem nos órgãos linfóides periféricos.

Os linfócitos que amadurecem no TIMO tornam-se linfócitos T e os que amadurecem na própria medula se tornaram os linfócitos B.

Células:

Neutrófilos: função de fagocitose e ativação dos mecanismos bactericidas. Presente em maior quantidade. São polimorfonucleares, isto é, possui apenas um núcleo que é segmentado.


Eosinófilos: Função de destruir parasitas revestidos por Acs, além de apresentar função nos processos alérgicos.


Basofilos: Produz grânulos ligados a citotoxicidade celular, porem não se sabe o local de atuação.


Mastócitos: Faz a liberação de grânulos com histamina e outros agentes vivos. É um linfócito B amadurecido.


NK: Faz a liberação de grânulos líticos.

Monócito: célula que ainda está evoluindo para se tornar um macrófago (é monócito enquanto está na circulação e se torna um macrófago assim que se instalar em um tecido).


Maturação dos linfócitos:

Quando o linfócito ainda está na medula óssea ou no timo ele ainda é “virgem” (ou NAIVE) e, portanto, não é funcional. À partir do timo ou da medula eles migram para os órgãos linfóides secundários (???ou periféricos???), onde irão amadurecer e se tornarem células efetoras, já as células que não se tornarem efetoras vão se tornar linfócitos de memória, quem vai determinar qual desses dois tipos de célula o linfócito irá se tornar é o tipo de citocina que vai estimular cada uma dessas células.


Fase de ativação dos linfócitos:

Quando tem um Ag os linfócitos iniciam sua atividade sintetizando proteínas, e se proliferando e diferenciando em células de memória.

- O primeiro passo para a síntese de proteínas é a TRANSCRIÇÃO (cópia do DNA ou RNA).

- A segunda etapa é a proliferativa (expansão clonal), ou seja, a célula é estimulada a se ativar, à se dividir por mitose e à formar clones, sendo iguais e tendo a mesma especificidade para um Ag. Isso vai gerar uma hiperplasia, inchnado os órgãos linfóides periféricos (“ÍNGUAS”). Uma vez que o clone se proliferou, parte dele se diferenciará em célula efetora, e o resto será de memória. As efetoras podem ser um plasmócito (produtor de Ac) ou Ly-T citotóxico ou auxiliar. As de memória podem ser um LyB ou T.

O monócito é uma célula precursora de um macrófago, sendo que só se torna um macrófago no tecido em que se instala. Por exemplo, no epitélio o macrófago será uma célula dendritica, no fígado uma célula de kupffer, etc...

Macrófagos: fazem fagocitose e ativação de mecanismos bactericidas, apresentação de AG.

Plasmócitos: São células resultantes da diferenciação de linfócitos B em células que sintetizam e secretam anticorpos.

Células fagocitárias mononucleares: desempenham o papel de apresentação de Ag (APC) nas respostas imunes mediadas por células T.


ANATOMIA E FUNÇÃO DOS TECIDOS LINFOIDES:

Órgãos geradores – ou órgãos linfóides primários à Timo e Medula óssea.

Órgãos linfóides secundários – ou periféricos à Linfonodos, baço, tecidos linfóides cutâneos e mucoso, etc.


*Apêndice: órgão linfóide que involuiu ao longo da evolução.


Timo: local de desenvolvimento de células T. É dividido em região cortical (densa população de ly T) e em medular (população menor de ly T)

Linfonodo: Locais onde a resposta imune é iniciada. Dividido em zona rica em lyT (zona medular) e em zona rica em Ly B(felicular).

Baço: Principal local da resposta imune à Ags provenientes do sangue. Nele também ocorre segregação linfocitária, e o mecanismo é semelhante a do linfonodo (depende de citocinas).

O baço é um importante filtro anguineo, onde os macrófagos da polpa vermelha retiram microorganismos e particulas do sangue.

O baço é também o principal local de fagocitose de microorganismos opsonizados. Portanto uma pessoa que não tem baço está disposto a ter qualquer doença infecciosa proveniente de agentes que usam o sangue para se disseminar.


SI cutâneo: a pele contem um sistema imune especializado constituído pos linfócitos e APC’s. A pele participa na defesa contra microorganismos pois possui habilidade de gerar e manter respostas imunes e inflamatórias.

SI mucoso do trato gastro intestinal e respiratorio são colonizados por ly e apcs.


Nenhum comentário: